quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Swing, o mundo das descobertas e realizações


Conforme mencionado no Post anterior, segue o Relato dos nossos queridos amigos @SreSraCaliente que tiveram uma noite de Soft Swing.

Tudo na vida tem a sua primeira vez e com a gente não foi diferente

Ola amigos(as) do blog diário do Sr e Sra. Morango, hoje gostaria descrever aqui como
foi a nossa experiência no mudo liberal.

Somos um casal de noivos e estamos juntos á sete anos, e com o passar do tempo todo
relacionamento cai na rotina e com a gente não foi diferente. Passamos por alguns momentos
de crise, acho que pelo fato de eu não esta trabalhando acho que isso contribuiu muito para
essa rotina se instalar no nosso relacionamento.

Eu e a patroa somos bem afinados em quase tudo que pensamos e que queremos, mas
um dia eu propus pra a patroa se ela toparia ir a uma casa de swing, ela ficou meio reciosa com
a ideia, pois ela não se imaginava em um mundo assim, mas o meu argumento foi muito bom
“o nosso relacionamento caiu na rotina e eu não quero perder você por causa disso”.

Foi ai que eu criei um twitter kasalquente78 (apenas para casais) e conheci o Sr. e Sra.
Morango, um casal totalmente liberal e simpático (ainda não os conhecemos pessoalmente,
mas ainda iremos conhecê-los) daí em diante passei a ler o blog deles com cada história
deliciosa, excitantes e claro muito educativo (risos) e descobri algumas casas de swings.
Fui pesquisar nas redes sociais quais casas o pessoal nos indicariam e procurei também na
internet.

A primeira casa que fomos foi a Bar Bacantes, chegamos lá e nos apresentaram a
casa pra nós, tomamos alguns drinks, trocamos de roupa, nos deram roupões, chinelos,
armário para guardarmos nossos pertences e começamos a circular pela casa para conhecê-
la com as pessoas em atividade, uma cena melhor que a outra excitante na verdade, depois
de ver muitos transando, nós acabamos transando no reservado, afinal era a nossa primeira
experiência em uma casa de swing.

Depois fomos conhecer a Society, nessa ficamos nos acariciando na frente de todos
que estavam lá, nesse dia a patroa não se importou muito com as pessoas que estavam
ao nosso redor ela caiu de boca pagando um delicioso boquete, muita gente parou e ficou
admirando o belo serviço da patroa, depois a deitei na cama que havia lá e puxei a calcinha fio
dental que ela estava usando e cai de boca na xana deliciosa dela ela gozou e gemeu muito,
depois acabamos transando em uma cabine.

No último sábado fomos conhecer a Vogue era a noite da sem calcinha, mas a patroa
não quis ir sem calcinha, o bom é que a calcinha dela era fio dental. Nessa casa o ambiente é
uma balada, pista bombando com músicas legais e atuais com muita gente bonita dançando
e mulheres muito atraentes, uma mais linda do que a outra e excitantes, já os homens não
irei comentar porque não é a minha praia (risos novamente) e liberais e como sempre com
segundas intenções. (riso novamente), mas depois de um determinado espaço é ai que as
coisas acontecem, fomos conhecer os ambientes e vimos alguns casais se acariciando e já
deixando os outros com vontade também, afinal de contas ninguém é de ferro ainda mais
quando se trata de sexo e de voyeurismo ai o desejo aumenta e aumenta em muito.

Começamos a tomar alguns drinks, a patroa ainda não estava totalmente no clima para
fazer algo, então resolvemos dar uma volta para ver como o clima da casa estava, (detalhe
não sei se nas outras casas é assim, mas na Vogue não entra com bebidas nos ambientes)
mas mesmo assim comecei acariciá-la, ela tem os seios fartos e é um pouco gordinha (mas faz
um sexo que nenhuma magrinha faz, deve ser por isso que gosto de uma gordinha) e todos
ficaram a comendo com os olhos, passei a língua na orelha dela suspirei no ouvido dela e
beijei o seu pescoço, taquei o dedo na xana dela por cima da calcinha e a senti ficar molhada e
arrepiada quando fazia isso e todos ao nosso redor ficaram nos olhando.

Em um determinado ambiente onde tem uma cama e uma televisão onde passa alguns
filmes “educativos” começamos a ver alguns casais se tocando e sendo tocados e claro nós
não ficamos para trás e começamos a nos acariciarmos, taquei a mão na xana da patroa que
já estava molhadinha de tanto tesão ela gemeu como se não tivesse alguém do nosso lado,
até que eu a sentei na cama e ela abri o zíper da calça e começou a chupar gostoso o meu
pau nossa que boquete ela fez, meu deus (detalhe eu já fui sem cueca para balada na Vogue
para facilitar as coisas), eu a deitei na cama e puxei a calcinha dela de lado e comecei a chupar
aquela xana deliciosa, ela começou a tremer tudo, pernas, abdome, quadril e eu comecei a
sentir algo viscoso na xana dela, era o gozo dela na minha língua, quando de repente eu vi
um cara entrar no local e pega na mão dela e levar até o pau dele, para minha surpresa, ela
começou a bater uma pra ele, isso me surpreendeu e claro fiquei muito excitado, logo depois
ela começou a pagar um boquete pra ele isso foi um dos ápices da nossa noite.

Saímos de lá e fomos para outro ambiente, onde tem algumas cabines e ficamos
vendo alguns casais ou até mesmo um trio dentro delas se deliciando com as suas fantasias,
voltamos para a pista de dança pra nos recuperarmos. Foi quando entramos em um ambiente
totalmente escuro uma espécie de corredor totalmente escuro onde se via apenas a ponta do
nariz e onde os pegas são mais calientes, comecei a cariciá-la, foi quando eu percebi uma mão
nos seios dela, era de um homem de um casal que estava ao nosso lado e eu claro comecei a
cariciar a mulher do casal.

Com uma das mãos passei na xana da mulher e com a outra continuei na xana da
patroa, chupei os seios da mulher era uma esfregação total, enquanto a patroa era acariciada
nos seios pelo cara, quando eu olho para o lado vejo a patroa ajoelhada pagando um boquete
que só ela sabe fazer esse foi o segundo ápice da nossa noite, logo em seguida a mulher se
abaixou e começou a pagar um pra mim. Essa pega-pega durou uns 20 minutos, logo eu e a
patroa fomos sozinhos para uma cabine que tinha lá e trepamos muito, claro ela continuava
molhadinha e com muito tesão.

Essa foi a nossa digamos assim a primeira troca de casais em uma casa de swing,
espero que tenham gostado dessa nossa aventura nesse mundo liberal. E obrigado ao Sr
e Sra. Morango por me permitir postar isso aqui, saibam que mesmo não os conhecendo
pessoalmente já os tenho como amigos.

Sra Morango - Adoramos o relato. Muito excitante. Viajamos em cada acontecimento narrado aqui.

4 comentários:

  1. Adorei o post! Quem sabe um dia eu não envie um assim tambem.. compartilhando uma experiencia gostosa com meu casal tesudo preferido... bjks...

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do post, mas.... cade a foto da Morango?

    Arnold

    ResponderExcluir
  3. Post delicioso. Morango's, vamo convidar essencial para a balada de abril? Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sra. Morango - Com certeza! Estava conversando com eles hoje pelo twitter.

      Excluir