quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Gostosa do Hospital (Colaboração de @gatosp69)


Olá, sou @gatosp69 e este é o primeiro conto que relatarei aqui pra vocês no blog dos nossos queridos Sr. e Sra Morango @MorangoKasada. Eu trabalho com equipamentos médicos, portanto estou sempre em Laboratórios e Hospitais e foi num Hospital que conheci Bruna. Ela era uma morena baixinha, pele branquinha, cabelos e olhos pretos, seios médios bem durinhos e uma bundinha de deixar qualquer mulher com inveja, empinadinha. Ela abriu um chamado relatando que uma máquina estava com problema, portanto me desloquei até lá. Durante o período que lá estive, agi de forma natural, até porque tinha outro homem que trabalhava no mesmo setor e eu ainda não a conhecia. Terminei o serviço, e voltei à empresa. Lá pelas 17 horas, sem parar de pensar naquela mulher linda e escultural, resolvi ligar pra ela.

                               
Ela atendeu surpresa, ainda mais quando eu disse que só tinha ligado pra saber como ela estava, e que eu não tinha parado de pensar nela o dia todo. Ela sorridente respondeu que gostou da minha ligação e que era pra a gente manter contato. Foi o que fiz. Nos dias seguintes, sempre que dava eu ligava pra ela. Ouvia aquela voz sensual e imaginava aquela boquinha fazendo um boquete pra mim. Ahhh, eu ia à loucura. Foi quando uma semana depois marcamos de nos encontrar na sala dela às 18 horas. A este horário ela já estaria sozinha e teríamos bastante tempo pra nos “conhecermos” melhor. Cheguei lá no dia e horário marcado, porém pra minha surpresa o homem que trabalhava com ela não ia embora. Acho que ele percebeu que algo estava acontecendo. Mas pra nossa sorte, não demorou muito e ele se foi. 2 Minutos depois ela levantou-se da sua cadeira, fechou a porta e disse “Agora vem meu gostoso, que eu te quero”.
Coloquei aquela putinha em cima da mesa dela e comecei a chupar aqueles seios maravilhosos que ela tinha. Durinhos, rosadinhos cabiam certinhos na minha boca. Ao mesmo tempo eu puxava os cabelos dela e ouvia um gemidinho baixinho de prazer vindo daquela boquinha gostosa.  Logo ela foi tirando o meu cinto e baixando as minhas calças. Meu pau a esta altura já estava latejando, louco pra ser chupado e assim ela o fez. Chupou como se estivesse chupando um sorvete num dia de calor. Passando a língua pela cabeça e descendo por ele inteirinho. E ela não se esqueceu das bolas. Massageava e chupava minhas bolas que era uma delícia. Eu adoro quando elas fazem isso. Alternava chupadas com punheta. Confesso que tive que me segurar pra não gozar naquela boquinha linda.
Tirei a roupinha dela e a coloquei de 4 em cima da mesa. Que visão maravilhosa. Agora eu tinha a bucetinha e o cuzinho à minha disposição. Chupei muito, passando a língua no clitóris e ouvindo-a gemer. Intercalava chupadas na bucetinha e no cuzinho. Percebi que ali ela gostava bastante.

                                     
Comecei a colocar um dedinho e então ela começou a rebolar. Pensei “essa é a hora”. Posicionei meu pau extremamente duro na entrada da bucetinha dela e fui colocando lentamente. Ahhh, que delícia. Molhadinha, apertadinha, quentinha. Do jeito que deve ser. Ela rebolou muito no meu pau, dizendo que eu era um cachorro, que desde o primeiro momento que me viu já tinha pensado em dar pra mim. Virei ela de frente pra mim, comecei a meter forte, puxando os cabelos e dando tapas naquela putinha. Ela adorava. Fazia cara de safada e dizia que adorava levar rola, ainda mais uma grande e grossa como a minha. Ela gemia baixinho, com medo de alguém fora da sala escutar e nos incomodar. Mas eu não estava nem ai, dava tapas forte, alguns faziam até bastante barulho e a chamava de cachorra, vadia, putinha.
                                     
Ela gozou muito, suas pernas ficaram até fracas e trêmulas. Vendo ela rendida daquele jeito, foi ai que me animei e resolvi meter com mais força. Dizia a ela que se era rola que ela queria, era rola que ela iria ter. Quando fui gozar, tirei o pau de dentro da buceta dela e gozei em sua cara, escorrendo pelos seus seios. Nunca esquecerei aquela cara de prazer que ela fez. Que delícia.
Depois disso nós nos limpamos, nos despedimos e combinamos de nos encontrar mais vezes. Afinal, eu ainda tinha que comer aquele cuzinho não é?
É isso galera, espero que tenham gostado deste conto e que este seja o primeiro de muitos outros que compartilharei com vocês. 
                                      
                                             Forte abraço, @gatosp69

Nenhum comentário:

Postar um comentário